Postagens

Mostrando postagens com o rótulo Comunidade Caiçara

Vírus da Juréia pode dizimar Peruíbe - Parte III

Imagem
A ARTE RUPESTRE Em uma certa expedição, realizada no ano de 1947, um grupo de cinco integrantes resolveu andar na crista da Serra dos Itatins. O local era ainda mais preservado do que é hoje. Lá em cima, a visão geral era indescritível, pois a imensidão verde fazia com que os olhos sorrissem, com os diversos tons de cores variadas. O azul do céu era tão límpido quanto uma gota de orvalho secando ao sol nascente em uma mata distante. O ar puro enchia os pulmões e revigorava a alma daqueles que estivessem ali, naquela data, pois aquele dia era especial. E muito! A riqueza mineral e a farta biodiversidade criaram o ambiente propício para que diversos microrganismos se desenvolvessem somente naquele lugar. Alguns deles tiveram êxito e são associados à pequenos vegetais endêmicos ou encrustados em rochas, embebidos por pequenos filetes de água e luz. Foi então que um dos integrantes resolveu procurar água para beber. Ao entrar em uma gruta, escondido em um dos flancos das serra

Governo de SP quer construir na Juréia

Imagem
      Após muitas ameaças de destruição das casas na Juréia e apesar da proibição de construir ou reformar a casa dos moradores que estão lá desde antes da criação da Unidade de Conservação (UC), o governo do Estado de São Paulo pretende ampliar o alojamento para pesquisadores do Núcleo Grajaúna, localizado em uma das áreas mais preservadas da Estação Ecológica de Juréia-Itatins.      A denúncia é feita pela União dos Moradores da Juréia (UMJ) e pela Associação dos Jovens da Juréia (AJJ) que requerem a suspensão imediata da obra, que é promovida pela administração da Estação Ecológica e por órgãos da Secretaria Estadual do Meio Ambiente. Além disso, propõem uma discussão para que a construção do alojamento seja feita em outra área que não prejudique a convivência social e atividades do s moradores caiçaras.       Segundo eles, a obra é mais uma forma de intimidação e constrangimento causados contra a comunidade local, no caso, ao Sr. Onésio do Prado, morador tradicional do Gra