Postagens

Mostrando postagens com o rótulo história de ficção

Vírus da Juréia pode dizimar Peruíbe - Parte Final

Imagem
Parte 5 - O fim é só o começo Os corpos dos expedicionários mortos ficaram jogados na mata, nas proximidades do Rio Una do Prelado. Após alguns dias, o cheiro forte atraiu os moradores da redondeza que procuravam caça pelo local. Três corpos ainda estavam lá. Os outros dois sumiram. Provavelmente comidos pelas onças da região, ou teriam eles desaparecidos por alguma outra força maior? Benedito Maia foi o encarregado de levar os corpos em sua canoa, feita por ele mesmo, do tronco de um Guapuruvu. Chegando na “Vila”, localizada em uma volta do Rio Una, tratou de mandar o mensageiro, via Estrada do Telégrafo, para contatar as autoridades de Peruíbe sobre o ocorrido. Quando as autoridades chegaram na Vila, encontraram os moradores muito debilitados, contaminados pelo vírus que habitava os corpos dos defuntos expedicionários. Alguns deles já estavam mortos. Crianças, jovens e mulheres. O desespero era grande e a situação de calamidade pública. O único a ter contato

Vírus da Juréia pode dizimar Peruíbe - Parte II

Imagem
Parte II: A Serra dos Itatins Os anos se passaram e a história da Gruta dos Sacrifícios foi virando lenda. Poucos acreditavam na veracidade das informações que diziam os mais velhos, de que um grande mal mataria à todos, caso o local fosse profanado. Vieram os portugueses, os índios se foram, chegaram os caiçaras, os tempos atuais e alguma coisa ainda guarda a região dos Itatins. Veja bem, prezado leitor: Existem as tais cobras venenosas na ilha queimada grande. Os diversos relatos ufológicos. A Porta de Pedra na Serra do Guaraú. A natureza preservada perto de uma das maiores cidades do mundo. Um caixão com um corpo encontrado na Praia do Una e levado para a cidade de Iguape, onde fizeram uma igreja para ele e, posteriormente, a cidade também parou no tempo. Como você pode ver, a região possui uma atmosfera sinistra e mágica, apesar da mecanicidade dos tempos atuais... O que será que há por trás de tudo isso? Por que um local com tanta coisa boa guarda algo que pode