Estudo revela números de animais atropelados na Padre Manoel da Nóbrega


Gambá, Quati, Lagarto, Tamanduá, Tatu, Bicho-Preguiça, Jararaca, Porco-do-mato, Urubu e até uma Jaguatirica. Estes são alguns dos animais mortos encontrados na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, no trecho entre Praia 
Grande e Miracatú.

Graças a um estudo científico inédito, realizado por Alexandre Pereira Corrêa e Willian Barbosa Sales, que as informações estão disponíveis para a população e as autoridades. 

O monitoramento foi feito entre janeiro de 2013 e janeiro de 2014, que contabilizou 130 atropelamentos. De acordo com os trabalhos realizados, o número de atropelamentos pode ser ainda maior, já que funcionários da rodovia fazem a remoção de carcaças frescas, antes que pudessem ser monitoradas para o artigo. 

O objetivo é quantificar os números de espécies e quais são as mais freqüentes. Uma das considerações finais dos autores merece destaque: 

“Há que se preocupar com esse número de atropelamentos, uma vez que há 
planos de ampliação da Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, o que deverá 
acarretar em substancial aumento no fluxo de veículos, e aumento na freqüência de atropelamentos”.

Alexandre Pereira Corrêa é formado em Pedagogia na Uninter, Pós Graduado 
em Pericia e Auditoria Ambiental Uninter-PR, Analista de Geoprocessamento, 
Monitor Ambiental e atualmente trabalha como Guarda Parque na Fundação Florestal do Estado de São Paulo.

Willian Barbosa Sales é biólogo (Centro Integrado de Ensino Superior 
– CIES), Especialista em Análises Clínicas (Instituto Brasileiro de Pós Graduação e Extensão – IBPEX), Mestre em Saúde e Meio Ambiente (Universidade 
da Região de Joinville), Doutorando em Saúde e Meio Ambiente (Universidade da Região de Joinville) e orientador de TCC do Grupo Uninter. De janeiro de 2013 a janeiro de 2014 foram 130 atropelamentos 


Foto: Alexandre Vechi
Texto: Márcio Ribeiro

Comentários