A lenda do grande líder extraterrestre Jura-para



De acordo com a escritora Maya Ekman,  há  muitos anos  atrás  chegaram naves vindas de outros planetas que cultivaram as nossas terras usando máquinas. As suas construções eram feitas de pedras que eram cortadas como tábuas. Tudo era comandado por um chefe  chamado  Jurapara.  

O líder extraterrestre usava um emblema no peito, que era o desenho de uma cobra negra, símbolo trazido do seu planeta.  O  desenho estava por toda parte, inclusive nos lados das naves redondas e prateadas. Na cidade alienígena, onde  hoje  fica  Peruíbe, havia  ruas  largas  que avançavam mar adentro. 

Tinham  grandes  pirâmides de vidro que geravam luz e energia onde todos viviam felizes, com muita prosperidade. Certo dia, a terra começou a tremer e vários vulcões entraram  em  atividade.  A lava começou a escorrer das  montanhas  e  a  bela cidade foi completamente destruída.

Após o incidente, os senhores  do  espaço partiram  levando  em seus  aparelhos  prateados sementes e plantas cultivadas,  deixando  em varias pedras a serpente gravada. Peruíbe,  atualmente, ostenta o símbolo do antigo chefe extraterrestre, convocando os descendentes destas antigas colônias a recordar os primitivos colonizadores. 


A porta de pedra, localizada na Estrada do Guaraú, está ladeada pelo símbolo do  grande  Jura-Para, comandante espacial, por isso que a cidade inspira mistérios variados. Talvez, os seres estelares voltarão algum dia.

Enquanto isso, são vistas bolas de fogo, aparelhos  redondos,  luzes desconhecidas, pedras que ficam paradas no ar, acima de um metro, e rolam pela estrada solitária assustando os poucos moradores que as encontram, criaturas brancas e luminosas que saem pela porta de pedra e passeiam além- mar e diversos outros casos inexplicáveis.

Por tudo isso, Peruíbe é reconhecida mundialmente pelos diversos relatos ufológicos, atraindo curiosos e estudiosos do mundo todo. Curiosamente, o local onde está o símbolo da serpente possui uma boa vista para o mar. 

O mato e as arvores não crescem ali para impedir a vista do oceano através da porta misteriosa. Lembrando que, daquele local, é possível ver a  Ilha  das  Cobras,  habitat natural da perigosa Jararaca Ilhoa,  um  dos  animais  mais perigosos do mundo que não é  encontrado  em  nenhuma outra parte do planeta.

Será que as cobras conseguiram se desenvolver em um local tão pequeno ou foram colocadas ali para proteger algum portal ou alguma riqueza do grande líder Jura-para? Este texto foi baseado no  livro   “Peruíbe:  História das suas origens, lendas e contos”, de Maya Ekman. O jornal Bem-Te-Vi agradece sua  filha  Alice  Ekman,  que nos doou um exemplar.

Texto e Fotos:Márcio Ribeiro

Comentários