Balada no Centro de Peruíbe vira casa de moradores de rua



Desde quando a balada Porto Club fechou que moradores de rua adotaram o local como casa e não tem nada melhor que morar em frente a praia e ainda no Centro da cidade. 

A casa noturna fechou no inicio de 2014, de lá pra cá, o que sobrou da estrutura são as paredes, pois o telhado, as janelas e portas foram furtados. Pichações e depredações foram surgindo por ações de vândalos, aumentando ainda mais o estado de abandono.



Na época que a Porto Club fechou diversos boatos surgiram, mas não foi divulgado nenhuma justificativa  oficial,  não teve mais nenhum show ou festa de terceiros no espaço. A última postagem na página no facebook é do dia 22 de dezembro de 2013.

O tempo foi passando e como ninguém se apresentou para mudar o cenário do local, os moradores de rua foram se instalando. O Jornal BEM-TE-VI foi no local e encontrou dois moradores de rua que confirmaram  que  não  só  eles, mas também mais duas pessoas, moram ali. Um dos moradores estava descansando na rede, em meio a tanto lixo e podridão de fezes e urina espalhado pelos cantos.

Os moradores das residências mais próximas reclamam da falta de segurança, por conta de ter um fluxo  de  pessoas  entrando e saindo do local para usar drogas. Desistiram  do  negócio  e abandonaram o prédio que em vez de ser interditado ficou  lá  aberto  para  qualquer um entrar e entraram. 

O Jornal BEM-TE-VI não conseguiu entrar em contato com o responsável e que administrava a Porto Club. Seu perfil no facebook está também  desativado  desde 2013 quando a balada fechou. 


Texto e Fotos: Lucas Galante

Comentários

  1. Odiava essa balada e demorou anos para arrumarem a bagunça que ficou

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A menor praia do mundo pode estar em Peruíbe

Google maps fotografa pontos luminosos na Juréia

Jornal BEM-TE-VI hospeda dois amigos Uruguaios que estão pedalando pela América do Sul

Por que os tubarões atacam seres humanos?

Pairando pela história: Praças como monumentos

Filha conta tudo sobre a dedicada historiadora Maya Ekman

Procrastinação com Qualidade

Motorista flagra luzes estranhas atravessando rodovia em Peruíbe-SP

Não sou perigoso, me chamo Gildásio e preciso de sua ajuda!

Artes Bemtevi desenvolve Card Digital que se torna Microsite para seu negócio