Dia Mundial do Coração: Médica do Instituto Sírio-Libanês conta segredos para um coração forte e saudável



O Dia Mundial do Coração, celebrado em 29 de setembro, é uma oportunidade para lembrarmos da importância de cuidar da saúde cardiovascular. Para manter órgão em bom funcionamento, é fundamental adotar hábitos de vida saudáveis. Isso inclui a prática regular de exercícios físicos, uma dieta balanceada, o controle do peso, a redução do consumo de tabaco e álcool, além do gerenciamento do estresse.


"O coração é um motor fantástico, responsável por impulsionar em um indivíduo adulto de 70kg um volume de quase sete litros de sangue por todo o seu corpo, trabalhando dia e noite com mais de 80 mil batimentos, alimentando os órgãos com oxigênio e levando o sangue aos pulmões para reabastecimento e redistribuição. Um órgão tão nobre merece muito carinho e atenção", diz a Dra. Vanessa Pesciotto, cardiologista do Hospital Regional de Jundiaí, instituição administrada pelo Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês (IRSSL).


A seguir, ela esclarece algumas dúvidas e dá dicas para manter a longevidade do coração, para que ele continue a bater forte por muitos anos.


O que é ruim para a saúde do coração?
Os principais fatores desencadeantes de problemas para o coração estão ligados aos hábitos de vida. Por isso, é importante sempre atentarmos para questões como: tabagismo; sedentarismo; obesidade; dieta rica em gorduras de origem animal, sódio e açúcar (especialmente em pessoas que possuem pais e/ou irmãos com doenças como diabetes, hipertensão e obesidade), além do estresse. Também incluo as doenças sem tratamento adequado, entre elas a hipertensão e o diabetes.


Qual é o melhor exercício para o coração?
Os exercícios físicos fazem bem para o corpo e para a saúde mental. Eles auxiliam no controle de todas as doenças crônicas, melhoram a autoestima e prolongam a vida com qualidade e independência. A mais atual recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia é a prática de atividade física, pelo menos 150 minutos por semana, divididos em quatro a cinco dias de exercício aeróbico, como caminhar, dançar, nadar, andar de bicicleta ou fazer esteira, associados a dois períodos de exercícios de resistência muscular, como pilates ou musculação. É importante ressaltar que, para as atividades físicas em pacientes com doenças crônicas ou com sintomas de mal-estar, dores ou vertigens, é recomendada a avaliação médica antes da prática de atividades.


Qual o melhor alimento para fortalecer o coração?
Uma alimentação saudável faz bem não apenas para o coração, mas também para o corpo e a mente das pessoas. Entre os alimentos, destacam-se os vegetais, principalmente as de folhas verde-escuras como couve, espinafre e as frutas in natura, especialmente por serem fontes ricas em fibras e antioxidantes. Também recomendamos peixes como sardinha, salmão e cavala (assados e sem óleo, pois já possuem em sua gordura óleos ricos como ômega 3 e 6). As sementes também possuem, além das fibras, óleos e minerais importantes para a nossa saúde. Temos ainda a recomendação do consumo de azeite extravirgem de baixa acidez (a partir de 0,5% ou menos), nas saladas, a frio. E atenção: não vale fritar nada com azeite!


O que fazer para deixar o coração mais saudável?
Além da alimentação, controle de peso, atividades físicas, não consumir bebidas alcoólicas ou fumar, precisamos nos lembrar do estresse, que é um inimigo da saúde cardíaca. Portanto, cuidar também da nossa qualidade de vida, sono e horários de lazer faz o nosso coração mais feliz, e o corpo todo agradece.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Filha conta tudo sobre a dedicada historiadora Maya Ekman

Pairando pela história: Praças como monumentos

A menor praia do mundo pode estar em Peruíbe

Google maps fotografa pontos luminosos na Juréia

Procrastinação com Qualidade

Por que os tubarões atacam seres humanos?

Jornal BEM-TE-VI hospeda dois amigos Uruguaios que estão pedalando pela América do Sul

Motorista flagra luzes estranhas atravessando rodovia em Peruíbe-SP

Não sou perigoso, me chamo Gildásio e preciso de sua ajuda!

Poder de Compra do Consumidor na Pandemia